Autopoeta

EXALAI – MOVIMENTO PELA NATUREZA DA MULHER

Posted in arte, ciência, consciência, sociedade by autopoeta on agosto 5, 2013

… que se espalhem em espiral ascendente as mulheres livres a deixar fluir a essência que expressa o primor da criação natural.

∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞

Amig@,

Aqui publico uma intensa e divertida reportagem de 2009 da Revista TPM, cujo teor dos textos expõe uma grande revolução de comportamento.

Após compartilhar esta reportagem semana passada, conversava com amigos e amigas sobre fundarmos um movimento social em prol da natureza da mulher (e da natureza humana em sua perspectiva mais ampla).

O Exalai – Movimento pela Natureza da Mulher é uma iniciativa visando novos olhares sobre a natureza humana e a vida em sociedade.

É um espaço de interatividade para homens e mulheres que reconhecem a beleza da natureza humana e buscam estilos de vida mais próximos a ela.

Esse sentimento fundador é muito mais um incentivo a atitudes e comportamentos que contemplem a verdade íntima de cada pessoa, associado a um trabalho educativo, do que uma negação dos artifícios modernos.

Não há um modelo a ser seguido, não há uma fórmula. O aprendizado se constitui nas habilidades de fazer valer o que é próprio de cada um, o que sensibiliza, traz alegria de viver. Ao mesmo tempo permitir que o outro seja também o que lhe faz sentido e lhe traz felicidade.

(more…)

SOBRE AS MANIFESTAÇÕES POPULARES E O PROCESSO DE TRANSIÇÃO

Posted in consciência, sociedade by autopoeta on junho 17, 2013

[… que estas não se caracterizem simplesmente por quantidade de gente e volume de barulho, mas principalmente pela qualidade das relações e pela eficácia das atitudes.]

arte_comunicacao colaborativa na diversidade

_______________

Este texto começa a ser escrito ao constatar que estamos diante de uma força de supressão ordenada pelo Estado para conter as manifestações populares neste inverno de 2013.

Atos recorrentes de opressão à liberdade de expressão violam a constituição e afrontam a democracia e expõem a discrepância insana entre governo e sociedade, o primeiro a serviço de forças políticas e econômicas que representam 1% da população.

Penso que esta repressão violenta parece oriunda de um medo estrutural crescente que o governo e quem está por trás dele estão sentindo. Em algum lugar, já perceberam que a configuração em rede é soberana e esta se faz uma grande ameaça aos seus mecanismos de manipulação e controle.

Nutro uma convicção de que o fluxo dessa rede consciente emergente é inexorável e mais cedo ou mais tarde um novo paradigma integrador vai prevalecer e dissipará essa estrutura dominadora que parece parasitar o corpo da sociedade e o planeta Terra como um todo.

(more…)