Autopoeta

2012, UMA COMPILAÇÃO

Posted in consciência, sociedade by autopoeta on dezembro 26, 2012

liberdade dentro

A liberdade é dentro.

(Imagem: Mehdi Mohammadi Rouzbahani, Iran)

______________________

Anciões de Liberdade – Projeto Anciões [Terra Una / Ponto 1 de Cultura e Sustentabilidade / Funarte]

______________________

quatro circulos perfeitos

Não vemos as coisas como são.
Vemos as coisas como somos.

Humberto Maturana

______________________

(Rie Chinito – Perota Chingo)

______________________

(Imagem: Romulo Zapponi)

” A esperança não é a possibilidade de um futuro melhor,

mas a certeza de se estar fazendo a coisa certa HOJE”

Waclav Ravel

______________________

a motivação d’água é a riqueza da simplicidade
que gira a roda da vida e faz acontecer o tempo:
o embalo do apreço é a alegria de me fazer arte.

_____________________

nature is love.

_____________________

____________________

Gratefulness.

____________________

Água desenham árvores e trazem à tona a conexão essencial de todos os seres.

(Foto de Adriana Franco – Baja California, Mexico)

____________________

“O universo apenas finge ser feito de matéria, quando secretamente ele é feito de amor.”

“The universe only pretends to be made of matter, when secretly it is made of love.”

Daniel Pinchbeck

_____________________

Sinta-se abraçado.

________________________

O majestoso paradoxo da vida: ser nada mais que poeira sem importância nenhuma diante da imensidão cósmica; e, ao mesmo tempo, ser o centro e a expressão da totalidade em si, estando ligado a tudo e sendo essencial para que o universo seja o que é.

___________________

Antes das igrejas haviam as sagradas florestas de árvores.

____________________________

____________________

Protegendo as anciãs.

____________________

Amor é chama.

_________________

neste poema Cecília Meireles verseja o eterno porvir para ser além:

Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.
Destrói os olhos que tiverem visto.
Cria outros, para as visões novas.
Destrói os braços que tiverem semeado,
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo.

__________________

“Houve um tempo em que a natureza fortalecia o homem, instruía-o, curava-lhe as feridas e lhe proporcionava a força de viver. O homem estava repleto de compaixão e de amor maternal pela terra e sabia que seu coração afastado da natureza torna-se seco e duro. Esse tempo não desapareceu. Ele se encontra dentro de ti, indestrutível. Basta apenas modificar o teu modo de olhar as coisas, buscando dentro de você o poder de seu espírito.”

Provérbio Sioux

_____________________

O Grande Espírito de Amor Universal de Todos os Povos; este advém da chama crística que é o mais despido e verdadeiro espírito do Natal.

Que venha 2013 com o esplendor do amanhecer.

_____________________

DIETER BROERS E AS TEMPESTADES SOLARES

Posted in ciência, consciência, sociedade by autopoeta on novembro 12, 2012

Visão muito interessante acerca da influência das tempestades solares no campo de consciência da humanidade. Que assim seja! Acesse pelo link:

http://terapiafloralon-line.blogspot.com.br/2012/10/cientista-alemao-dieter-broers-afirma.html

Vale conferir o artigo original em inglês. A linguagem é convincente!

Esta teoria advém como uma radioterapia solar, impressionante!

http://www.realitysandwich.com/2012_and_electromagnetic_effects_consciousness

CHOQUE DE AMOR

Posted in arte, consciência, sociedade by autopoeta on novembro 22, 2011

Iniciativa gestada por participantes do Educação Gaia Rio de Janeiro, consiste em promover intervenções urbanas não-violentas e afetivas para difundir valores de fraternidade, gentileza, amizade, parceria e amor universal.

Brotam do coração da diversidade como ações de integração, de ampliação da confiança da população, rumo a mudanças estruturais de consciência.

Na iminência do ano 2012, é uma chamada para irmos ao espaço público tecer novas relações de cumplicidade e criar ambientes de colaboração e apoio mútuo, em consonância com os movimentos de ocupação e organização da sociedade civil.

Os choques de amor vêm para sacudir a pessoa comum trazendo um sopro de energia positiva para que esta possa sair do torpor e se recordar de sua verdadeira natureza de participante da comunidade da vida.

Choques de amor são para serem replicados! Incentivamos grupos dos mais diversos, sejam colegas de sala de aula, de trabalho, jogadores do mesmo time, primos, amigos reunidos, a ideia é deflagrarem-se choques de amor por todas as partes de todas as cidades.

Somos os 99% da população que queremos a mesma coisa: paz, alegria, satisfação, serenidade, conhecimento, criatividade, ternura e transcendência.

Somos aquel@s por quem estávamos esperando.

Rio de Janeiro, primavera de 2011

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

Música Incidental: Elle Shelle, de Andreas Vollenweider e Bob McFerrin. Do álbum Cosmopoly, de Andreas Vollenweider.

Citação da letra da canção “O Sal da Terra”, de Beto Guedes.

Captação e montagem: Filipe Freitas