Autopoeta

THRIVE

Posted in ciência, consciência, sociedade by autopoeta on outubro 23, 2012

Este filme tem como tema central os padrões do Torus e do Vetor Equilíbrio e todo o desdobramento matemático, geométrico, termodinâmico, eletromagnético e quântico que os envolve, sendo apresentados como a chave para uma nova matriz energética inesgotável. O filme aborda também o que tais descobertas implicarão na realidade planetária.

Aqui estamos falando de sistemas de moto-perpétuo, nos quais o saldo de energia é positivo, ou seja, o sistema produz mais energia do que consome ou é 100% eficiente, isto é, funciona sem perda alguma de energia, anulando a força de entropia que rege o universo físico desde seu princípio, ainda na forma de calor, e mantendo indefinidamente sua energia circulando ordenadamente no sistema sem que esta se dissipe em formas inúteis e desorganizadas.

Estas duas perspectivas correspondem à violação das duas primeiras leis da termodinâmica e o filme afirma que isto é possível através de dispositivos que se utilizam do padrão do Torus e do Vetor Equilíbrio para promover uma fonte inesgotável de energia eletromagnética.

Uma realidade que desafia nosso paradigma físico nas entranhas, em que inteligências superiores tentam nos transmitir um código de acesso à energia livre.

A questão que o filme suscita então é: seremos realmente capazes de materialmente alcançar um estado social de abundância energética? Ou sucumbiremos em uma doença social, no verme que parasita e obstrui o fluxo da energia livre?

Hoje a humanidade encontra-se aprisionada e enferma em um padrão de alta entropia e baixa sinergia. Caso se confirmem as descobertas apresentadas no filme, parece plausível entender que teremos encontrado a fonte de poder para deflagrar a cura do tecido humano.

Um filme instigante (apesar de sua estética controvertida).

Fraternalmente,

Filipe Freitas